Todos Mentem, Incluindo Você e Eu. Será Verdade?

mentira

Share This:

Um artigo publicado pelo Instituto Nacional de Psicologia e Neurociência estima que as pessoas mintam em média 200 vezes por dia. Isso equivale a uma mentira a cada cinco minutos e quase sempre, elas começam com os falsos elogios. Outra pesquisa, reduz este número para 10 mentiras ao dia. Ainda outro estudo feito em Amsterdã com 527 pessoas, conclui que 41% falaram sempre a verdade. Mas 5% dos entrevistados foram responsáveis por 40% das inverdades contadas.

Mas Afinal, Por Que as Pessoas Mentem?

Mentem por uma questão de sobrevivência ou para garantirem vantagens e recompensas, para serem aceitas em algum grupo ou por alguém; não causarem mágoa e conflitos; esconderem suas inseguranças; não serem punidas ou ficarem “mal na fita”, ou porque simplesmente são egoístas sem nenhum sentimento de empatia e respeito pelo outro, além de infinitos outros motivos pouco louváveis. No entanto, as mentiras já foram divididas em “categorias” para que algumas sejam compreendidas como “aceitáveis” e outras, nem tanto. Vejamos.

Mentiras Sociais ou Brancas

Também conhecidas como “white lies” em inglês, as mentiras sociais ou brancas, são aquelas que pelo conceito geral da humanidade, são inofensivas. É quando você diz ao seu convidado que não precisava ter lhe trazido o presente de aniversário, ou que é cedo para ele ir embora da sua casa às 4 da manhã sendo que você tem que acordar às 7:00 no dia seguinte; quando você diz aos seus filhos pequenos que foram trazidos pela cegonha ou que você não retornou o telefonema do colega por que você anda ocupado e estes últimos tempos têm sido uma loucura!!

É curioso o fato de escolhermos as mentiras brancas em detrimento de verdades que só fortaleceriam nossas relações, criando um vínculo de confiança ainda maior entre nós, nossos amigos e familiares. Perceba que em todos os exemplos citados acima, existe espaço para uma verdade sem perdas e danos, muito pelo contrário. Você pode simplesmente agradecer seu amigo pelo presente com um abraço e dizer o quanto acha importante ele ter se lembrado de você, ou falar para os seus convidados com antecedência que será um grande prazer reuni-los em sua casa mas que o evento terá que terminar cedo por que você tem compromissos na manhã seguinte. Para os seus filhos, que ainda não é hora de explicar como chegaram ao mundo e que um dia irão entender melhor, e por fim, para o seu colega, que você andou sim ocupado nas últimas semanas mas que você não tem justificativa por não ter retornado o telefonema dele, e simplesmente se desculpar.

Vale lembrar porém, que nutrir sempre a verdade, não significa descrever fatos maldosos desnecessários sobre as pessoas do tipo que machucam e causam desconforto, como: “Nossa como você engordou!!” ou “Você está ficando careca, hein?” São coisas muito diferentes. Falar a verdade está a quilômetros de distância da rudeza e da falta de tato social. Como diz aquele velho ditado, “Se não puder ajudar, não atrapalhe” ou “Se não tiver nada que agregue a dizer, fique calado”.

A Mentira-Mentira

A “mentira-mentira”, é aquela estória “safada” que às vezes ouvimos de alguém ou criamos por puro egoísmo, para nos livrar de situações difíceis, evitar conflitos, levar vantagem ou ganhar alguma recompensa. Resumidamente, esta é a base das enganações.

A mentira é um ato egoísta, por que literalmente tira do outro a capacidade de decidir que atitude tomar perante a situação caso realmente soubesse a verdade, e este, está longe de ser um jogo justo, que constrói um relacionamento inteiro e promissor. Você pode demorar vários anos para construir uma relação amorosa ou amizade sólida e apenas um minuto para destruí-la.

Uma frase que ilustra bem esta situação de decepção e suas consequências, escrita pelo filósofo alemão Nietzsche, é: “Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te”.

Se a pessoa não quiser causar conflito, deverá arranjar formas de viver de forma lícita, onde a mentira não se faz necessária. Apesar das escolhas do passado de alguém não tiverem sido as melhores, ela sempre poderá supera-las e arcar com as consequências dizendo a verdade, colocando as cartas na mesa desde o começo, partindo do zero. A verdade é sempre a melhor opção, doa a quem doer. E por falar em dor, ao contrário do que muitos acreditam, uma verdade, por mais dolorida e difícil de aceitar que seja, sempre causará um estrago emocional e psíquico bem menor do que a descoberta de uma atitude falsa ou mentirosa vinda de alguém que amamos e respeitamos.

Se a vantagem ou recompensa que se almeja através da mentira for por uma “causa nobre” como ganhar o amor e aceitação de alguém, ou um grupo de pessoas, ainda pior. Ninguém consegue manter uma farsa por muito tempo. Uma hora ou outra a verdade virá à tona deixando-a em uma situação bem desagradável e ainda mais desconfortável do que no início.

A Pior das Mentiras

“Mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira” é uma frase de uma música da Legião Urbana, intitulada “Quase sem Querer” que diz muito. Se um indivíduo não consegue ser verdadeiro consigo mesmo, o que dirá com os que o cercam.

Aprendemos desde  tenra idade a mentir, e ao longo da vida, ao tentarmos nos encaixar em padrões predeterminados vigentes, nos enganamos. Como bem descreve o artigo do Evoluterapia sobre o mudanças, o cérebro tenta poupar energias de várias formas fazendo com que as pessoas se acomodem. É mais fácil, e não queremos passar pela dificuldade de descobrir quem somos, o que verdadeiramente queremos e o que seria nós se não fossem todas as influências que alteraram nossa essência.

Apesar do caos que estamos vivendo em âmbito mundial, com toda a corrupção e atrocidades que testemunhamos, o Planeta Terra agora parte em um movimento silencioso para uma nova Era, onde só haverá espaço para a autenticidade e a verdade porque é a forma mais rápida e eficiente rumo a evolução espiritual e intelectual do ser. Segundo o escritor Carlos Torres, autor de vários best sellers, dentre ele a Era de Ouro da Humanidade, em entrevista dada ao Evoluterapia “A principal mudança que estamos passando é o processo de desilusão. Desilusão com o governo, relacionamentos, situação econômica entre outras situações. Devemos receber este sentimento de braços abertos, pois ele aciona o nosso processo de desenvolvimento e autoconhecimento para percebermos a verdade nua e crua de nossas vidas e do mundo que nos cerca. As ilusões são prejudiciais ao nosso desenvolvimento pois estão ligadas ao medo e ao ego, características que deverão ser descartadas na nova era”.

Parar de mentir pra si mesmo será então o primeiro passo para que as pessoas consigam viver com integridade, o que em um segundo momento, refletirá em seus relacionamentos com os outros.

Quanto à pergunta inicial deste artigo: Todos mentem, incluindo você e eu. Será verdade? Acredito que a resposta seja sim, variando apenas em intensidade, frequência e consciência do que cada um quer pra si. Mas isto não impede de lutarmos para sair da zona de conforto e nos tornar seres humanos melhores a cada dia e a cada escolha que fazemos. O que você acha?

Autoria: Lilian de Camargo Cunha – Professional & Life Coach

Share This:

Se você gostou, curta a nossa página no botãozinho abaixo. Se acha que poderá ajudar a alguém, compartilhe com seus amigos nas redes sociais. E se você tem uma experiência pertinente a este assunto que queira compartilhar conosco, escreva nos comentários. Vamos adorar ouvir sua história pois ela pode servir de exemplo para milhares de pessoas! Um grande abraço! 🙂


Comentários

comentários